blog

blog

segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

ACIDENTE DE TRÂNSITO COM VÍTIMA FATAL EM SANTANA DO CARIRI

ontem por volta de 05h30min, o Destacamento de Santana do Cariri foi acionado para uma ocorrência de acidente de trânsito no Sítio Latão, neste município, onde a pessoa de CICERO RONNEY AGNELO DA SILVA, brasileiro, solteiro, agricultor,  residente no Sítio Latão, Santana do Cariri-CE, perdeu o controle da moto Honda Bros ES, ano 2014, cor preta, placa PMO 0859 CE, vindo a bater na Ponte do Sítio Latão e cair, quando a patrulha chegou ao local a vitima já estava sem vida. O local preciso do acidente é CE 292, km 59, Sitio Latão, Santana do Cariri-CE. A vitima foi levada para necropsia no IML de Juazeiro do Norte-CE.

Romeirão liberado para competições oficiais

O Estádio Mauro Sampaio, o Romeirão, gerido pela Gestão Municipal de Juazeiro do Norte, por meio da Secretaria de Esporte e Juventude (Sejuv) está liberado para receber partidas oficiais durante o ano de 2018. A Sejuv já encaminhou todos os laudos necessários para a liberação e atendeu todas as exigências necessárias para utilização da praça esportiva.
Todas as instituições já realizaram suas vistorias para a criação dos laudos. O Corpo de Bombeiros, Vigilância Sanitária, Polícia Militar e Infraestrutura (engenharia). Ao todo, os quatro laudos atenderam as oito exigências. Todas elas têm o objetivo de garantir a segurança dos torcedores no estádio. No equipamento, as saídas de emergência foram todas sinalizadas, além da numeração de todos os assentos e da marcação de locais apropriados para   cadeirantes.
Também foram instaladas placas informativas, os banheiros foram recuperados e diariamente uma equipe da Sejuv trabalha para melhorar a situação do gramado do Romeirão. Toda a parte burocrática que cabia a Direção do estádio e a Sejuv já foi finalizada. O primeiro jogo oficial no estádio está marcado para o dia 24 de janeiro entre o time do Guarani de Juazeiro e o Maranguape pelo campeonato Cearense da primeira divisão de 2018.
Alguns dos laudos ainda estavam em vigência, mas a Sejuv resolveu refazer os quatro e garantir mais segurança para a comunidade que é usuária deste equipamento. A reforma que transformará o Romeirão em arena está prevista para começar após o campeonato cearense, mas até lá o estádio está em dia com a lei e pronto para receber sediar competições oficiais.

Crato participará da primeira edição dos Jogos da Diversidade do Ceará


O Secretário de Esporte e Juventude do Crato, Lamar Lima, participou do lançamento oficial do I Jogos da Diversidade do Ceará. O evento realizado pela Secretaria do Esporte do Estado do Ceará (Sesporte) em parceria com a Coordenadoria Especial de Políticas Públicas para LGBT, aconteceu na ultima quarta-feira 17, no Auditório Blanchard Girão da Sesporte do Estado.

Os jogos da Diversidade estão ligados a dois importantes eixos de programas do Governo do Estado – Ceará Acolhedor e Ceará Saudável e serão realizados através de duas fases. A primeira fase será realizada em sete etapas regionais, cada uma com uma cidade-sede: Sobral, Tamboril, Quixadá, Alto Santo, Iguatu, Crato, Maracanaú. Na segunda fase do evento, os vencedores disputarão a fase Estadual em Fortaleza. As inscrições estão previstas para o mês de fevereiro.

Os jogos contarão com quatro modalidades coletivas (Futsal, Vôlei, Handebol e Gaymada (versão diferenciada da tradicional queimada) e três individuais-lúdicas (Arremesso de Bolsa, Corrida de Saco e Corrida de Salto).

Em sua primeira edição, Os Jogos da Diversidade do Ceará – que trazem mensagem de respeito à igualdade de direitos, convivência e respeito à diversidade de orientação de gênero-sexual –, reunirão ao longo das disputas aproximadamente 10.000 atletas (bissexuais, gays, lésbicas, homens e mulheres trans, entre outras orientações).

Para Lamar Lima será um evento esportivo de muita importância para o Crato e para o Estado do Ceará como um todo “O Esporte já tem um caráter extremamente inclusivo, a realização dos Jogos da Diversidade virá para promover mais igualdade e respeito” Destaca.

Funceme registra chuvas em todas as regiões do Estado

Image-0-Artigo-2353016-1
A média de chuvas, no mês de janeiro, chegou aos 52,3mm. A média histórica para o mês, segundo a Funceme, é de 98,7mm ( Foto: Honório Barbosa )
Quixadá. A semana começou no Estado com a regularidade meteorológica mantida nos últimos dias, dessa vez com chuvas em 34 municípios, 38 a menos em relação ao período das 7h da sexta-feira para as 7h do sábado. O maior registro pluviométrico, no mesmo intervalo de tempo, de sábado para o domingo, foi em Ocara, no Maciço de Baturité, com 60mm. Morada Nova, no Vale do Jaguaribe, veio em seguida, com 43mm e General Sampaio, com 42mm. Os dados são da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme).
Do sábado para o domingo as chuvas chegaram aos 100mm em Lavras da Mangabeira, seguidas de 90mm em Ipaumirim, 80mm em Umari, 73mm em Baixio e 67mm em Quixeramobim. Entretanto, uma rajada de vento de 66,2Km dividiu a atenção com as primeiras chuvas mais fortes no Sertão Central. A ventania derrubou uma torre da operadora de telefonia celular da Claro na Serra da Mutamba, no distrito de São Miguel. A velocidade do vento foi coletada pelo Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). Os dados estão disponíveis na Plataforma de Coleta de Dados (PCD).
Sobre as chuvas no Ceará, de acordo com o órgão oficial meteorológico do Estado as chuvas deste período estão associadas à presença de um Vórtice Ciclônico de Altos Níveis (VCAN), um sistema de baixa pressão atmosférica e circulação horária a aproximadamente 12Km de altura, característico da Pré-Estação, que teve início em dezembro e vai até o fim deste mês. Esse fenômeno costuma atuar até fevereiro, primeiro mês da quadra chuvosa no Estado do Ceará.
Para este início de semana os meteorologistas da Funceme preveem mais precipitações sobre o Ceará. Nesta segunda-feira há possibilidade de chuva no Centro-norte do Ceará. No Sul do Estado, a previsão é de chuvas isoladas. Esse quadro deverá continuar amanhã, também com nebulosidade variável em todas as regiões. A média de chuvas em janeiro chegou aos 52,3mm. A média histórica para o mês é de 98,7mm. Hoje a Funceme anuncia o prognóstico para os três primeiros meses da quadra chuvosa deste ano. (A.P.)

Mais de 50 matadouros estão interditados no CE

matadouro
A falta de adequação ao abate de animais é um sério problema ( Foto: Alex Pimentel )
Quixadá/Massapê. Uma operação realizada pela Polícia Civil trouxe à tona um problema recorrente em várias cidades do Interior do Ceará, a comercialização ilegal de carne bovina para o consumo humano. A ação policial, denominada "Carne Podre", ocorreu no mercado público de Quixadá.
Os policiais flagraram aproximadamente 1.500Kg chegando aos boxes, em um veículo inadequado. O abate estava sendo realizado de forma irregular, ao lado do matadouro público da cidade, interditado desde 2016. Seria um problema pontual se outras 52 unidades de abate não estivessem na mesma situação no Interior do Ceará.
Conforme a Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Ceará (Adagri), as interdições ocorrem, na maioria, a partir de ações do Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE). Geralmente, os promotores de Justiça recebem denúncias de irregularidades e, realizadas as investigações, constatam os problemas, grande parte por falta de estrutura e de higiene.
Os técnicos da Adagri e também da Vigilância Sanitária são acionados para certificarem as infrações. Em desacordo com as leis de regulação e de funcionamento, esses locais são fechados até se adequarem às normas sanitárias e ambientais.
O caso do Matadouro Público de Quixadá é um exemplo. O serviço de abate havia sido interrompido outras quatro vezes, a primeira delas em 2010. Na época, o então diretor do Departamento Municipal de Administração de Bens e Serviços Públicos (Dmasp), Elery Ferreira, havia anunciado a construção de uma nova unidade. O projeto já estava pronto, o terreno também havia sido liberado. Restava apenas a concessão de algumas licenças ambientais e a disponibilização dos recursos, da ordem de R$ 1 milhão, por meio de emenda.
O projeto não se concretizou e, ao assumir o Dmasp, no início de 2017, a nova gestão se deparou com antigo prédio fechado. Foi então colocado em prática um plano emergencial de reforma e adequação, orçado em R$ 72 mil. Como os itens estabelecidos pelos órgãos ambientais e de sanidade são muitos, e os recursos financeiros são do próprio Município, os serviços ainda não foram concluídos. A previsão é de entrega nos próximos 30 dias, informou o atual diretor do Departamento responsável pela administração do matadouro, Higo Carlos Cavalcante.
Todavia, de acordo com o engenheiro agrônomo Nicolas Fabre, analista de Desenvolvimento Rural e Meio Ambiente e coordenador de Cooperação Técnica Internacional da Associação dos Municípios do Estado do Ceará (Aprece) boa parte dos municípios onde os serviços de abate foram paralisados por intervenção dos órgãos fiscalizadores não terão a mesma oportunidade. Precisam construir novos prédios. Grande parte dos existentes estão localizados em áreas urbanas. As cidades foram crescendo e, apesar de terem sido construídos em áreas afastadas, passaram a infringir as normas sanitárias.
O analista aponta a situação do abatedouro de Piquet Carneiro, onde foram investidos mais de R$ 300 mil. Apesar do esforço do prefeito anterior, Expedito do Nascimento, o alvará de funcionamento não foi liberado por estar localizado em área considerada inadequada, no Centro da cidade. "O prédio recebeu toda a estrutura e equipamentos necessários, com as especificações exigidas pelos agentes fiscalizadores. O desconhecimento do critério de localização causou o ônus ao erário público", explicou. A reportagem tentou manter contato telefônico com o ex-prefeito, todavia, até a publicação desta edição as ligações não foram atendidas.
O rigor quanto aos critérios de funcionamento dos abatedouros públicos ao longo dos últimos anos, culminou com o fechamento de cerca de 30% deles, to que leva a uma preocupação com o abate na moita, como a prática, clandestina, ilegal, é denominada. Como poucos municípios possuem Serviço de Inspeção Municipal (SIM), apenas 11, nove deles na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) e dois no Interior, Morada Nova e Iguatu, registrados no Serviço de Inspeção Estadual (SIE), o freguês de balcão, dos frigoríficos e dos mercados, está correndo riscos. "Não é porque fecharam os matadouros que os consumidores vão se tornar vegetarianos", acrescentou Fabre.
Para solucionar o problema é preciso disponibilizar recursos para os municípios e adequar os modelos de matadouros disponibilizados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) à realidade do Nordeste. Mesmo sendo destinado aos produtores da agricultura familiar, os projetos disponibilizados são focados nas demandas do Sul do País. Os valores são elevados, chegando à casa de R$ 1 milhão, mesmo para uma unidade de pequeno porte, completou o representante da Aprece.
Novo sem funcionar
O Abatedouro de Animais de Grande e Pequeno Porte de Massapê, no Norte do Estado, foi inaugurado em dezembro do ano passado, mas ainda não está é atividade. A unidade modelo de abate recebeu investimentos de R$ 1.270.926, por meio de convênio firmado entre o Estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Agrário, e o Município.
A unidade, com capacidade para atender cerca de 30 animais de grande porte, diariamente, além de suínos e caprinos, não teve instalado nenhum equipamento. O prédio foi construído para substituir o antigo, desativado por não mais atender à demanda da cidade, nem as determinações sanitárias necessárias ao seu funcionamento.
1

domingo, 21 de janeiro de 2018

HOMEM MORTO A TIROS NO CENTRO DE CRATO

O CRIME  ACONTECEU NA NOITE DESTE SÁBADO NAS PROXIMIDADES DO BAR DO VASCO NO CENTRO DA CIDADE PRÓXIMA AO CANAL NA RUA SAGRADA FAMÍLIA. A VÍTIMA DE NOME  JÉFERSON LIMA FOI MORTO COM VÁRIOS TIROS .

ESTE FOI O TERCEIRO HOMICÍDIO DO ANO NA CIDADE DO CRATO 

227 vagas abertas para sargento da Aeronáutica


a
O Curso de Formação de Sargentos da Aeronáutica é ministrado sob regime de internato militar na escola de especialistas, em Guaratinguetá-SP ( Foto: Kid Junior )
A Aeronáutica divulgou o edital do concurso para ingresso no Curso de Formação de Sargentos, a ser realizado na escola de especialistas, em Guaratinguetá/SP, no primeiro semestre de 2019.
A seleção oferece 227 vagas de ambos os sexos, para atuação em todo o território nacional.
Do total de ofertas, 93 são destinadas apenas ao sexo masculino, sendo distribuídas entre as especialidades de aeronavegantes - mecânica de aeronaves (50), aeronavegantes - material bélico (13), e não-aeronavegantes - guarda e segurança (30).
As outras 134 vagas são atribuídas a ambos os sexos e estão divididas entre as funções de não-aeronavegantes - equipamento de voo (6) e controle de tráfego aéreo (128).
Os candidatos devem ter concluído o ensino médio e não ter menos de 17 anos e nem completar 25 anos até dezembro de 2019. O salário inicial do terceiro-sargento é de R$ 3.584.
As inscrições serão recebidas no período das 10h do dia 11 de fevereiro às 15h de 12 de março. A ficha de cadastro estará disponível nos endereços eletrônicos do Comando da Aeronáutica (www.fab.mil.br/eear) e da Escola de Especialistas de Aeronáutica (http://ingresso.Eear.Aer.Mil.Br).
A taxa de participação custa R$ 60, e o seu pagamento deverá ser efetuado até 19 de março.
A primeira etapa da seleção será a prova objetiva, a ser aplicada no dia 27 de maio nas seguintes cidades: São Paulo/SP, São José dos Campos/SP, Belém/PA, Recife/PE, Fortaleza/CE, Natal/RN, Rio de Janeiro/RJ, Belo Horizonte/MG, Campo Grande/MS, Canoas/RS, Santa Maria/RS, Curitiba/PR, Brasília/DF, Manaus/AM, Porto Velho/RO e Boa Vista/RR.
O concurso será ainda constituído por: inspeção de saúde; exame de aptidão psicológica; avaliação do condicionamento físico; e validação documental.

375 vagas abertas em três Prefeituras do Ceará


Ao norte do Ceará, o município de Camocim é famoso por suas praias e a pesca é um fator econômico importante para a cidade de 62 mil habitantes ( Foto: Arquivo )



As Prefeituras de Camocim, Itapipoca e Solonópole recebem inscrições para seus respectivos concursos que contratarão, juntos, 375 novos servidores municipais para cargos de todos os níveis. Confira mais detalhes de como participar:
Camocim
A Prefeitura Municipal de Camocim é a que abriu o maior número de oportunidades: são 220 imediatas, além de formação de cadastro reserva, para cargos de nível médio, técnico e superior. Os salários variam de R$ 954 a R$ 7.795,29.
As posições oferecidas são de agente administrativo, técnico em enfermagem, técnico em higiene bucal, assistente social, farmacêutico, fonoaudiólogo, médico psiquiatra, psicólogo, terapeuta ocupacional e professor.
O Cetrede, organizador do processo seletivo, recebe inscrições pelo site www.cetrede.com.br até 14 de fevereiro. As taxas custam R$ 85 e R$ 125.
Itapipoca
O concurso da Prefeitura de Itapipoca visa contratar 11 profissionais para os cargos de copeiro (1); auxiliar de serviços gerais (4); vigia (4); atendente (1) e auxiliar de administração (1). É exigido nível fundamental ou médio, dependendo da função. O salário oferecido para todos é de R$ 937,00 para carga horária de 40 horas semanais. Por meio do site www.Idib.org.br é possível realizar as inscrições até 28 de janeiro, mediante pagamento de taxa de R$ 70 ou R$ 110.
Solonópole
Por último, Solonópole oferece 144 oportunidades, para candidatos com nível fundamental, médio e superior. Entre as opções disponíveis, estão auxiliar de serviços gerais, motorista, agente administrativo, agente fiscal, vigia, técnico agrícola, técnico ambiental, técnico em informática, assistente social, dentista, enfermeiro, médico, nutricionista , professor, entre outros. A remuneração vai de R$ 900 a R$ 5.777.
Até 9 de fevereiro, as inscrições devem ser realizadas pelo site www.promunicipio.com. As taxas custam R$ 60, R$ 100 e R$ 150, dependendo do cargo.

Nos acréscimos, Floresta derrota o Horizonte no Domingão

Os dois gols do Floresta foram marcados pelo atacante Edson Cariús ( Foto: Divulgação/Wilson Medeiros/Floresta EC )
18:18 · 20.01.2018 / atualizado às 21:15
Na próxima rodada, o time do técnico Raimundo Vágner terá o Ceará como adversário ( Foto: Reprodução/Instagram @florestaec )
Pelo início da terceira rodada do Campeonato Cearense, no Estádio Domingão, em partida amarrada e sem chances claras de gols, o Floresta venceu a primeira no Estadual ao bater o Horizonte por 2 a 1. Foram dois gols de Edson Cariús (28´ do 1º tempo e 48´ do 2º tempo), enquanto Danilo Itaporanga, aos 9´ do 2º tempo, marcou o único tento para o Galo do Tabuleiro. 
 
O time da Vila Manoel Sátiro está invicto no certame (dois empates e uma vitória), chegou aos 5 pontos e ocupa - de maneira provisória - a liderança do Campeonato Cearense. Já o Horizonte está em 6º  lugar, com os 3 pontos obtidos no triunfo diante do Guarani de Juazeiro, na estreia da competição. 
 
Agora, pela quarta rodada do Estadual, as equipes voltam a campo na próxima quarta-feira (24). O Horizonte volta a atuar no Domingão, diante do Tiradentes, às 20h15. 
 
Já o Floresta encara o Ceará, às 21h30, no Estádio Presidente Vargas. Mandante da partida, o time do técnico Raimundo Vágner terá um compromisso ante o Alvinegro de Porangabuçu. Na ocasião, além dos pontos válidos pelo Estadual, o duelo valerá a Taça dos Campeões Cearenses 2018 (reúne o campeão do Cearense 2017, o Ceará, e o campeão da Taça Fares Lopes 2017, o Floresta). Além disso, o eterno "soldado"Dimas Filgueiras, ex-jogador e técnico Alvinegro, será homenageado. Se a partida terminar empatada, as equipes somarão um ponto no certame estadual e a decisão do título da Taça dos Campeões será nas cobranças de pênaltis.   
 
Durante o treino de apronto na véspera da partida de hoje, o atacante Edson Cariús não participou das atividades realizadas pelo técnico Raimundo Vágner em função de um desconforto na virilha. Mas a presença do experiente atacante, vice-artilheiro da última edição do Estadual, atuando pelo Uniclinic, quando Cariús assinalou oito gols, foi imprescindível para o 1º triunfo do Floresta na elite do futebol cearense.  
 
O jogo
 
A partida foi se desenrolando com muitos erros de passes e poucas jogadas trabalhadas por parte das duas equipes. Somente aos 21 minutos da etapa inicial, Bruno Ocara, do Floresta, emendou arremate de primeira após bola rebatida pela defesa. Contudo, a finalização não levou o menor perigo ao goleiro do Galo do Tabuleiro. 
 
Aos 28 minutos, veio o gol do Floresta. E foi um golaço. Edson Cariús recebeu lançamento de Zé Carlos e deu um belo toque para encobrir o goleiro Eduardo Alves.
 
O Horizonte errava muitos passes, não conseguia articular jogadas trabalhadas. Aos 35 minutos da etapa inicial, diante da inoperância de sua equipe, o técnico Marcelo Vilar realizou duas alterações de uma só vez: Entrou Doda no lugar de Paulo Caiçara; Chapinha ingressou na vaga de Roberto Baggio. E a equipe melhorou sensivelmente.
 
Aos 38, após cobrança de falta da esquerda, Chapinha cabeceou por cima da meta defendida pelo goleiro Mauro. Foi a grande chance do Horizonte no 1º tempo. 
 
Aos 46 minutos, em chute de Erivelton da entrada da grande área, o goleiro Mauro bateu roupa. Na sobra Hércules tentou finalizar, mas acabou dividindo com a maração do Floresta. 
 
Triunfo nos acréscimos
 
Na volta para a etapa final, o técinco Raimundo Vágner colocou o zagueiro Edgar no lugar do atacante Felipinho. O Horizonte, que já havia melhorado nos minutos finais da primeira etapa, voltou para o 2º tempo pressionando o Floresta, especialmente pela direita, com Índio, mas esbarrava nas próprias limitações. O time da Vila Manoel Sátiro cometeu alguns erros infantis que só não terminaram em gols do adversário em decorrência de os atletas do Galo do Tabuleiro não jogarem aproximados e pecarem nos passes no terço final do campo. 
 
Aos 9 minutos, Bruno Ocara cometeu falta em Índio pela direita, recebeu cartão amarelo. Na cobrança de Danilo Itaporanga, o goleirão Mauro aceitou e deu números iguais ao jogo. Foi uma falha daquelas do goleirão do Floresta.
 
Nos minutos finais da partida, Bruno Ocara recebeu o segundo amarelo por falta dura e foi expulso. O Floresta, com um homem a menos, via o Horizonte chegar em sucessivas cobranças de faltas e bolas alçadas. O goleiro Mauro, lento nas ações, passava insegurança à defesa do time da Vila. Diante do cenário adverso, o técnico Raimundo Vágner colocou o defensor Hiago Pavuna na vaga do avante Paulo Vyctor. 
 
Devido às paralisações para substituições, para cobranças de faltas e parada técnica, o árbitro assinalou seis minutos de acréscimos na etapa complementar. E o Floresta agradeceria.  
 
Aos 48,  Eduardo Alves, goleiro do Horizonte, espalmou e mandou para escanteio. Na cobrança, Edson Cariús nem precisou sair do chão para cabecear e dar a vitória ao Floresta. O atacante do time da Vila Manoel Sátiro é vice-artilheiro da competição, com três gols, somente atrás de Gustavo Henrique, o "Gustagol" do Fortaleza.

sábado, 20 de janeiro de 2018

Sesc Folia

Após resolução que regulamenta Uber, MBL rompe com prefeito João Doria

Integrantes do MBL colam cartazes contra João Doria na avenida Paulista (Foto: Reprodução/Youtube)
Antes aliado próximo durante campanha, o Movimento Brasil Livre (MBL) rompeu laços com o prefeito de São Paulo João Doria (PSDB). Enquanto o MBL passa a criticar ativamente o tucano, Prefeitura pretende multar o movimento por cartazes de "João Desempregador" colados na avenida Paulista, no centro de São Paulo.
O estopim para o racha foi alteração leve, segundo integrantes do movimento, da Resolução nº 16, que cria diversas regras para motoristas de Uber e demais aplicativos de transporte na capital paulista, publicada no dia 9 de janeiro. Entre as regras, exigências de curso, emplacamento específico e de vestimenta. Para líderes do MBL, resolução da Prefeitura é contraditória ao pregado por Doria em campanha.
Mais sonoro nos ataques a Doria, o vereador Fernando Holiday (DEM-SP), um dos líderes do MBL, afirma que a regulamentação dos aplicativos de transporte "é um completo devaneio que vai contra tudo aquilo que ele pregou durante a campanha e no início da sua gestão".
Questionado sobre o rompimento, em entrevista ao O POVO Online, Holiday declarou crer que "houve um rompimento com o modelo de gestão do João Doria pelo próprio João Doria" e que, com a Resolução nº 16, a consequência "natural e inevitável" é a de "distanciamento". Segundo o vereador, a postura que assumirá na Câmara Municipal de São Paulo deverá girar entre "posicionamente de independência ou mesmo de oposição, tomando lugar de uma direita mais liberal".
"O movimento e eu continuamos seguindo a mesma linha de defesa do liberalismo, do empreendedorismo, da livre iniciativa, e toda as vezes que o prefeito atentar contra esses princípios, vamos ter uma postura muito crítica", complementou o parlamentar.
Em vídeo no Facebook, Holiday revela que está elaborando um Projeto de Decreto Legislativo (PDL) para "sustar essa resolução, ou ao menos uma parte, para que uberistas tenham uma flexibilição" das exigências da gestão.
"Agora o prefeito que foi eleito com discurso liberal, de empreendedorismo, quando chega ao poder parece que muda de ideia completamente e não cumpre com suas promessas. Entra em pura contradição quando compõe essa resolução", continua.

MBL admite que apoiou candidatura de Doria 
A página oficial do MBL no Facebook repete o vereador, e admite que o movimento apoiou Doria "com muito entusiasmo durante bom tempo" e diz ser "uma pena" a Resolução.
Em outra publicação, Thomaz Henrique Barbosa, um dos coordenadores do MBL no Estado de São Paulo, também reconhece o apoio do MBL, garantindo que "olhando o cenário da eleição passada, provavelmente apoiaria novamente", mas que Doria "já não teria o mesmo apoio". "Não tem nada a ver com grana, como gente podre já supôs. Tem a ver com ideias. O cara fez um discurso, alinhado com o que acreditamos, mas na prática não foi bem assim", diz Thomaz, em seu Facebook.
Outro líder nacional do movimento, Kim Kataguiri chamou Doria de "João Multador" em sua fanpage, em referência à reação da Prefeitura de multar cartazes do MBL.
"João Desempregador", dizem cartazes espalhados pelo MBL
Os cartazes de críticas a Doria espalhados pela avenida Paulista, que estampam "João Desempregador" – satirizando o slogan de "João Trabalhador" utilizado pelo prefeito –, argumentando que 50 mil empregos de motoristas estão ameaçados, deverão ser respondidos com multa ao MBL, conforme nota da Prefeitura, divulgada pela Folha de S. Paulo. "Equipes de limpeza já estão retirando os adesivos afixados na região", diz a Prefeitura de São Paulo.
Aliança com tucanos fica embaralhada
A proximidade do MBL com integrantes do PSDB percorre as bases tucanas de movimentos jovens da sigla até a participação nos quadros de gestão pública.
Prefeito Regional de Pinheiros, distrito da cidade de São Paulo, Paulo Mathias é integrante do MBL e um dos mais afetados pelo rompimento. No Facebook, o sub-prefeito lembra ser membro do movimento, mas afirma que "nesse episódio dos aplicativos, erraram". "A Resolução nº 16 também não é do meu agrado mas, nem por isso, vou sair por aí sujando a cidade, seja em patrimônio público ou privado, com as mesmas estratégias da esquerda que sempre condenamos", explica.
O racha, por outro lado, também compromete ainda mais a força, entre a juventude tucana, do nome de Doria para possibilidade de candidatura ao Governo ou mesmo à Presidência. Segundo um líder de movimentos jovem no partido afirmou ao O POVO Online, a popularidade do prefeito entre a juventude tucana na capital paulista é "cada vez menor", estimando apoio na casa de "um décimo". Nos bastidores, O POVO Online apurou que há insatisfação da juventude com a postura de Doria, atritos em grupos de discussão, sendo maior parte do silêncio da parte de jovens já ligados à Prefeitura de SP.
Fernando Holiday identifica que o rompimento pode gerar desconforto entre o movimento e militantes jovens tucanos, definindo como "natural, afinal de contas as lideranças tucanas são tucanas", e crê que já há "divergências, pelo menos no modo como o movimento vem atuando".
Líder da corrente Liberdade Tucana, em São Paulo, Caíque Mafra afirma que seu grupo também vê como "extremo retrocesso" a Resolução nº 16 de Doria. "Ele está indo contra o que falou no início, e colocou mais regulamentação que o Haddad (PT, ex-prefeito) . Vai aumentar o estado ", avalia o tucano. A decisão de multar o MBL pelos cartazes na avenida Paulista, segundo ele, foi "totalmente fascista" e "parece querer cercear a liberdade de um movimento pacífico".
Por outro lado, o presidente da Juventude do PSDB de São Paulo, Ramirez Lopes, diz que concorda com a Resolução da Prefeitura "pontual, que vai ajudar a regular o mercado de aplicativos e táxi", e ressalta que "a maioria dos jovens do partido não aprova o MBL" pelo "conservadorismo defendido por eles" que vai de encontro à "linha progressista do PSDB".
"Já se notava desde o início que o apoio do MBL ao PSDB não se sustentaria. Os cartazes na avenida Paulista são mais uma prova de que o MBL é um movimento que não tem rumo e está perdido politicamente. Seu propósito expirou", avalia Ramirez Lopes.
A reportagem procurou a assessoria de imprensa da Prefeitura de São Paulo, mas não houve resposta até a publicação da matéria. fonte jornal o povo

Grupos tentam emplacar discurso de renovação

Movimentos como o Acredito, surgidos na esteira de manifestações, anunciam como meta a renovação de um terço do Congresso até 2027 ( Foto: Agência Brasil )

Surgidos na esteira de mobilizações populares que buscam erguer, nas ruas ou na Internet, uma bandeira de renovação política, movimentos autodenominados suprapartidários querem, em 2019, ocupar espaços de poder. Dentre alguns em atividade no País, como o Movimento Acredito, o Agora, o Brasil 21, o Movimento Transparência e outros, uma iniciativa financiada por empresários e setores da sociedade civil, chamada RenovaBR, oferece, a partir deste domingo (21), uma formação política a “cidadãos comuns” que possa ser aplicada em futuras campanhas. Neste e em outros casos, o discurso de que é preciso “renovar” a política, contudo, ainda esbarra em dificuldades de financiamento e nas próprias regras da disputa eleitoral, além de não estar imune a críticas de partidos e outros movimentos.
Dentre 100 brasileiros selecionados para o RenovaBR, após cinco fases de recrutamento, dois são cearenses. Eles receberão, nos próximos seis meses, um treinamento com especialistas – presencial, em São Paulo, e à distância – voltado à potencialização de novas lideranças políticas no Brasil. Com a aposta, o movimento pretende eleger ao menos 45 pessoas, que nunca tenham exercido nenhum cargo eletivo, no pleito de outubro próximo.
Discurso
O empreendedor social Ítalo Alves, 25 anos, e o radialista Júnior Gonçalves, 34 anos, foram os dois inscritos do Ceará que passaram pelo processo seletivo do RenovaBR. Eles defendem que a renovação sustentada pelo movimento vai além do discurso fácil que deve ser explorado na disputa eleitoral de 2018 e, embora filiados ao mesmo partido, a Rede Sustentabilidade, destacam a presença de filiados a diversas legendas partidárias no programa. Para os cearenses, isso indica que pautas comuns aos participantes, que receberão bolsas de R$ 5 mil mensais, estão acima de divergências ideológicas.
Pré-candidato a deputado federal, Ítalo Alves, de Fortaleza, é líder do Movimento Acredito no Ceará. Criada em julho de 2017, a iniciativa tem, atualmente, 40 voluntários no Estado, mas, segundo ele, contabiliza mais de mil envolvidos em outras unidades da federação. “A proposta é trazer as pessoas comuns para mais perto da política”, resume.
Ítalo Alves reconhece que, entre uma legislatura e outra, 40% das cadeiras da Câmara, em média, são ocupadas por novatos. Segundo ele, porém, isso, isoladamente, não representa renovação. “Não basta você ser uma pessoa nova, mas ser filho de político; ou você ser um jovem, mas ter um posicionamento conservador, que não reflete mais o contexto econômico do nosso País; não basta você ter uma ideia, mas essa ideia ser extremista”, sustenta. Ele argumenta que movimentos como o Acredito e o RenovaBR compreendem a renovação política inserida em um “tripé”, formado por pessoas, práticas e princípios. 
Políticos tradicionais
Filho e morador de Russas, Júnior Gonçalves, por sua vez, opina que é preciso “ter muito cuidado com esse discurso de renovação”, uma vez que, conforme avalia, “os velhos (políticos) também vão vir com esse discurso, colocando seus parentes, seus homens de confiança”. 
Ele já tentou emplacar o discurso de renovação em dois pleitos: em 2008, filiado ao PRB, foi candidato a vereador de Russas, enquanto em 2016, quando migrou para a Rede, decidiu disputar o cargo de prefeito. Embora não tenha sido eleito nas duas investidas, o radialista diz que teve votações satisfatórias para campanhas sem estrutura. Neste ano, Júnior tentará chegar à Assembleia Legislativa.
Para os dois, o RenovaBR pode ser um trampolim. Idealizado pelo empresário Eduardo Mufarej, CEO da Somos Educação e presidente da Confederação Brasileira de Rúgbi, o programa foi anunciado no segundo semestre de 2017 e tem o apoio de nomes como o ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga, o empresário Abílio Diniz e o apresentador Luciano Huck. Ítalo Alves explica que, após cinco etapas de um processo seletivo com quatro mil candidatos, o RenovaBR busca atuar em quatro frentes: identificação de jovens, formação de novas lideranças, potencialização das campanhas e monitoramento de mandatos.
“São pessoas de diferentes partidos: da Rede, do Novo, do PT, imagino, de diversos partidos. E têm divergências, mas se encontram nas pautas”, explica. “A nova política é isso. Não é uma política de disputa partidária, é política de convergência de causas, e é isso que o programa tenta fazer”, acrescenta. 
Diante de campanhas ainda caras, com teto de gastos estimados em R$ 2,5 milhões para deputados federais e R$ 1 milhão para deputados estaduais, tanto Ítalo quanto Júnior reconhecem que, para pretensos candidatos surgidos desses movimentos, o financiamento das candidaturas é desafio maior. O empreendedor social pretende, na disputa, unir ações de mobilização de rua, de mobilização digital e financiamento coletivo. Júnior Gonçalves espera que o partido, por meio do Fundo Partidário, lhe dê “as condições mínimas” para tocar a campanha. 
Ideias liberais
Desde que foi anunciado, o RenovaBR tem sido alvo de críticas de partidos e movimentos de esquerda porque é visto, por alguns, como meio de financiar candidatos alinhados a posicionamentos liberais. Questionado sobre uma futura influência do programa, sustentado por empresários, na atuação política dos pretensos candidatos, após a Operação Lava-Jato ter trazido à tona escândalos enraizados em ações ilegais orquestradas entre o poder público e a iniciativa privada, Ítalo Alves diz que os bolsistas não têm que estar atrelados a interesses dos financiadores. “O Renova é financiado tanto por empresários como por pessoas da sociedade civil, só que o regulamento diz que essas pessoas não têm qualquer forma de influenciar os posicionamentos do movimento”, coloca. 
Segundo ele, há apenas seis tópicos com os quais o movimento quer que os participantes se comprometam: combate irrestrito à corrupção; gestão fiscal responsável; priorização do cidadão em detrimento da máquina pública; políticas sociais que eliminem a desigualdade de acesso à educação básica, saúde e segurança de qualidade; respeito às liberdades individuais; e gestão sustentável dos recursos naturais. “Acho que o grupo não pensa especificamente em um Brasil que se deita para a direita nem para a esquerda, mas num Brasil que se impulsiona para frente”, defende Ítalo Alves

TSE registra primeiras pesquisas de 2018 sobre corrida presidencial

Na próxima semana, serão divulgadas as duas primeiras pesquisas de 2018 sobre a corrida presidencial de outubro. Na próxima quinta-feira (25), o instituto de pesquisa Ipsos, sediado em São Paulo,  divulga um levantamento nacional com 1.200 entrevistados, ouvidos entre os dias 2 e 11 deste mês, sobre a sucessão de Michel Temer (MDB-SP).
Antes, na terça-feira (23), o instituto de pesquisa Múltipla, com sede na cidade pernambucana de Arcoverde, também promete soltar números sobre a eleição presidencial com 600 entrevistados, ouvidos entre a quinta-feira passada (18) e a próxima segunda-feira (22).
As duas pesquisas foram registradas no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), uma exigência da legislação em vigor desde o último dia 1º de janeiro. Os dois institutos informaram os custos das pesquisas. Enquanto o Ipsos diz ter gasto R$ 183 mil para ouvir os eleitores; o Múltipla registrou despesa de R$ 15 mil.
No questionário aplicado pelo instituto paulista, são testados os nomes do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles(PSD-GO), do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), além da presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia, do apresentador Luciano Huck, de Joaquim Barbosa, ex-presidente do STF, e do juiz federal Sérgio Moro, da Lava-Jato em Curitiba (PR), do ex-prefeito paulistano Fernando Haddad (PT) e do senador José Serra (PSDB-SP), que nesta semana descartou a intenção de disputar a eleição em 2018.
Os entrevistados também responderam ao Ipsos sobre os nomes dos políticos com pretensão eleitoral confirmada: Lula (PT), Geraldo Alckmin (PSDB), Marina Silva (Rede), Ciro Gomes (PDT), João Doria (PSDB), Jair Bolsonaro (PSC-RJ), Manuel D’Ávila (PCdoB) e João Amoêdo (Novo).
Já o instituto pernambucano informou que o objetivo do seu levantamento é “investigar o ambiente político/eleitoral do Estado de Pernambuco”. Nas simulações para a disputa presidencial, são apresentados aos entrevistados perguntas sobre Lula, Alckmin, Bolsonaro, Manuel D’Ávila, Marina, Ciro e do senador paranaense Álvaro Dias (Podemos). Também são testados nomes da disputa para governador de Pernambuco, como o ministro da Educação, Mendonça Filho (DEM), os senadores Fernando Bezerra (MDB), Armando Monteiro (PTB), a vereadora Marília Arraes (PT) e o governador Paulo Câmara (PSB).
O TSE também registrou pesquisa só com abrangência estadual em Alagoas pelo grupo de pesquisa de marketing São Judas Tadeu. Oficialmente, não há levantamentos sobre as eleições no Ceará.

Pintor da zona rural de Quixelô já expôs até em Paris



Sua obra mais conhecida é o painel "Os índios Quixelôs" pintado com a técnica indígena do toá, que atualmente está exposta no Centro Cultural de Quixelô ( Foto: Honório Barbosa )






Aos 24 anos, o sonho de Arivânio Alves é continuar participando de concursos, feiras e mostras da arte naif ( Foto: Honório Barbosa )
Quixelô. A infância pobre no Sítio Poço da Pedra, zona rural deste Município, fez com que Arivânio Alves do Nascimento, 24, fizesse suas primeiras pinturas usando pigmentos de folhas e flores esmagadas. Na escola, conseguia lápis grafite e, nas folhas de papel, a imaginação ganhava formas. As professoras e amigos observavam e achavam que o artista autodidata levava jeito para pintura.
Estavam certos. Em pouco tempo e mesmo com condições precárias, Arivânio Alves já conseguiu expor um dos seus quadros em uma feira livre, em Paris, na edição Carrossel do Louvre 2017. Outros trabalhos foram selecionados e participaram da Bienal Internacional de Arte Naif Totem Cor-Ação 2017, em Socorro (SP).
O artista plástico tem se dedicado à arte naif, cujo termo está relacionado com ingênuo e pertence à pintura de artistas sem formação acadêmica sistemática. É também conhecida por arte primitiva moderna. Não se observa aplicação de técnicas de perspectiva, cores, sombra e geometria. Entretanto, é um estilo que vem ganhando desenvolvimento e espaço em galerias e mostras nacionais e regionais.
Arivânio Alves define que a sua produção valoriza a pintura de cunho regional, popular, livre e espontânea. Autodidata, chegou a fazer um curso de desenho à mão livre no Instituto Cultural de Quixelô, que teve como instrutor Mauro Martins. "Aprendi noções básicas e tive oportunidade de conhecer tintas - acrílico e óleo", contou.
O próprio artista estabelece separação de sua arte. "Aplicação de luz, sombra, perspectiva não é para mim". No Centro Cultural de Quixelô, teve oportunidade de ler livros sobre história e técnica da arte, além de buscar informações pela Internet.
Inspiração
Casado recentemente, Arivânio Alves continua morando no Sítio Poço da Pedra. Nos fundos da casa do pai, há um pequeno ateliê. Galinhas e pintos caminham tranquilamente. Próximo, há um chiqueiro. Em meio à vida simples, ele busca inspiração nas paisagens e nos personagens do sertão árido, na produção agrícola, na criação de animais, na vida de sua gente sofrida pela escassez de água. A beleza da zona rural, a sua gente, casas, a pobreza, a religiosidade, o trabalho na roça são retratados nas telas do artista que recentemente ganhou exposição na cidade e também no Centro de Atividades do Serviço Social do Comércio (Sesc) em Iguatu.
O sonho de Arivânio é continuar participando de concursos, feiras e mostras da arte naif. "Quero aprimorar minha técnica", disse. Recentemente, concluiu o curso de Pedagogia. "Estou esperando emprego, trabalho, pois é difícil viver da arte. O mercado regional é restrito, fechado e exclusivista", observa.
Embora com reduzido material (tintas, pincéis), Arivânio pretende participar, no primeiro semestre deste ano, do Festival Internacional de Arte Naif, em Guarabira (PB). Está preparando novas telas. No ateliê, quase não há quadros de sua autoria. Na parede, há telas presenteadas por colegas. A maior parte do acervo está com amigos. Sua obra mais conhecida é o painel "Os índios Quixelôs" pintado com a técnica indígena do toá, que atualmente está exposta no Centro Cultural de Quixelô.
Em 2016, Arivânio Alves recebeu menção honrosa na Bienal Naif do Brasil, promovida pelo Sesc de Piracicaba (SP), com a tela "As Adventistas". O artista teve duas obras selecionadas para a mostra Arte Naif Nacional, neste ano, na cidade de Mogi das Cruzes (SP), no Centro Cultural de Suzano (SP) e na Casa Fox em Paranapiacaba (SP).
Possui uma obra no acervo "Sem Parede", uma instituição sem fins lucrativos que recebe obras de arte e tem como organizador o artista plástico Enzo Ferrara, da cidade de Mogi das Cruzes (SP). O acervo circula por exposições coletivas.
Imagens de suas obras já foram usadas pela Secretaria da Cultura do Estado do Ceará para ilustrar a programação cultural de Fortaleza, em maio de 2017. Desde julho de 2017, tornou-se membro da Associação dos Artistas Profissionais do Ceará. Quatro pinturas foram selecionadas para uma exposição coletiva em Helsinki, na Finlândia.
Simplicidade grandiosa
O crítico de arte Oscar D'Ambrosio salientou que a arte de Arivânio Alves ilustra bem o gênero naif. "Autodidata, parte de situações do seu cotidiano mental para construir uma obra visual que é uma interpretação de mundo. Alves, como boa parte dos artistas populares, tem na simplicidade a sua principal característica. Mas isso não significa simplismo. Pelo contrário, a maneira como articula temas, cores e formas traz elementos biográficos e memórias afetivas que erguem um castelo mental muito próprio".
Destaca, ainda, que Arivânio apresenta uma sinceridade que torna sua arte modelar. "Conceituá-la ou validá-la aos olhos eruditos torna-se desnecessário. Seu fazer se cristaliza no universo da percepção. Há ali um cronista, no sentido de viver cada instante com grande poder de observação".

Carroças resistem no tempo como transporte de cargas em Quixadá

Estacionados, os carroceiros aguardam os seus clientes desde cedo para os fretes ( Foto: Alex Pimentel )

Circulando pelas ruas e avenidas da cidade não há quem não se depare com algum deles no dia a dia. O grupo garante que mantém regras. A primeira delas é não maltratar o animal, além de dar boa alimentação, água e o descanso adequado ( Foto: Alex Pimentel )
Quixadá. Um meio de transporte, utilitário, sobre um único eixo, a carroça, continua resistindo ao tempo e ao crescimento urbano na maior cidade do Centro do Estado. Os órgãos do Município não possuem cadastro e nem números acerca da frota desse tipo de veículo, de tração animal. O mapeamento ainda será efetuado. Entretanto, circulando pelas ruas e avenidas da cidade não há quem não se depare com algum deles no dia a dia. Possuem até um estacionamento especial na área comercial.
Segundo o último levantamento do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-CE), de novembro do ano passado, o Município possui mais de 30 mil veículos. Desse total mais da metade são motocicletas. Apesar dos 2.500 caminhões, caminhonetes e utilitários motorizados, não existem empresas de frete. Quem precisa tem o seu próprio veículo ou prefere pagar mais em contra pelo serviço, recorrendo aos carroceiros.
Nesse quase meio século, diferentemente das bicicletas, quase em extinção nas ruas como transporte urbano, substituídas pelas motocicletas, o veículo puxado por animais está resistindo. Há quem diga, incluindo os utilizados nos depósitos de materiais de construção, existirem mais de 100. Todos os dias cerca de 20 deles se concentram na "Pedra", um ponto da Rua Rui Maia, onde ganharam até o estacionamento exclusivo para suas carroças, com direito a placa de sinalização de trânsito. No local, sombreado por algumas árvores, eles se reúnem pela manhã cedo no aguardo dos clientes.
A empresária Silvia Oliveira Lima, uma dos 14 filhos de Antônio Benjamim de Oliveira, recorda da chegada dos carroceiros à porta da sua casa, quando ainda era criança. Na época, tinha seis anos. Eles se concentravam próximo, na Travessa Tiradentes, mas, quando as árvores plantadas pelo pai cresceram, pediram para estacionarem na sombra, na Rua Rui Maia. O hábito se mantém desde então.
Antônio Benjamim faleceu em 2007, mas, em respeito ao pedido do pai, a filha e a família consentiram na permanência dos carroceiros no local. A única exigência é manterem o lugar limpo, recolhendo o esterco dos animais. Eles são de confiança e ajudam a proteger a casa enquanto aguardam a chegada de cliente. Como se revezam, tem sempre alguém vigiando.
O grupo também mantém regras para a prestação dos serviços. A primeira delas é não maltratar o animal, além de dar boa alimentação, água e o descanso adequado após alguma entrega. Um detalhe chama a atenção: a maioria prefere as burras, espécies do cruzamento do jumento, também chamado de asno ou de jegue, com a égua. Além de mais dóceis, as fêmeas não causam constrangimentos as clientes. "Os burros se estressam rapidamente", explica Francisco Eudásio de Sousa.
Image-0-Artigo-2351778-1
Uma placa de trânsito indica o local de estacionamento das carroças, no Centro de Quixadá (Foto: Alex Pimentel)
Os mais antigos no ramo, como Raimundo Nonato dos Santos, lembram do surgimento da atividade na cidade, ainda no início da década de 1970. A maioria das ruas não possuía pavimentação. As mudanças das mobílias eram feitas nas carrocerias de aproximadamente dois metros quadrados. Além da habilidade na condução do animal, é preciso ter paciência. Apesar de o eixo possuir rodas, quando animal anda mais rápido, solavanca a carga. Como transportam de tudo, incluindo caixão de defunto, com o passageiro dentro, é preciso ter cuidado.
A dona de casa Maria Anunciada Ribeiro sempre busca os serviços dos carroceiros. Aprendeu a confiar no serviço de frete quando era criança. Aborrecimento, só a mãe teve uma vez, mas o guiador não teve culpa. Ele havia alertado do risco de levar os 12 potes, dos grandes, com água, do sertão para a casa da cidade. "Nem com muita fé não tinha como não quebrarem".
Fique por dentro

Mais de cinco milênios de história

O surgimento da carroça é muito antigo. Historiadores apontam seu primeiro uso após a invenção da roda, com registros arqueológicos de 3.500 a.C., há 5.500 anos. Naquela época os antigos mesopotâmios já usavam um objeto de formato circular para fazer cerâmica, mas, de ambas as invenções, não se sabe quem foram os seus criadores. Naquela época, esse tipo de transporte já possuía eixo e era utilizado principalmente na agricultura, espalhada por todas as civilizações antigas. As adaptações foram evoluindo, chegando ao século XX com eixos de metal e pneus, os mesmos utilizados nos automóveis. Apenas a tração continuou a mesma, animal. Para manobrar as carroças é preciso ter domínio e habilidade, utilizando as rédeas.

Instituto Flor do Piqui realiza planejamento em Crato

Durante toda a sexta-feira (19/01) o Instituto Flor do Piqui realizou o seu planejamento estratégico para 2018. Participaram de momento cerca de 70 técnicos, colaboradores administrativos e o seu quadro diretor para avaliar as suas ações e pensar a sua atuação em 2018.

Esteve em analise às diversas áreas de atuação do Flor do Piqui, como as politicas públicas de acesso a terra, programa de cisternas, agroecologia, programa Paulo Freire, habitação rural, entre outras.

Para o Vereador Pedro Lobo que participou ativamente do planejamento e que tem destacada atuação nas áreas discutidas, esse é um momento importante para o Flor do Piqui avaliar a operacionalização dos seus projetos e avançar na melhoria dos seus resultados. “Conceber, implantar e avaliar continuamente a estratégia que assegure o êxito do For do Piqui e construa as competências essenciais para o seu sucesso no futuro, é condição imposta à instituição pela conjuntura atual”, observa o vereador.

Pedro Lobo além de ter sido um dos idealizadores do Instituto Flor do Piqui, tem uma atuação intensa junto aos trabalhadores da agricultura familiar na construção de politicas públicas que visam melhorar a vida do homem e da mulher que vivem no meio rural.

Governo do Ceará veta repasses para eventos de Carnaval

Resultado de imagem para Camilo SantanaO governador Camilo Santana decretou a proibição do repasse de recursos com finalidade de patrocínio e de apoio a eventos festivos relacionados ao Carnaval. O decreto foi publicado no Diário Oficial do Estado (DOU) desta sexta-feira (19).

Conforme o documento, o veto se deu pela necessidade de se priorizar gastos públicos destinados a áreas com problemas recorrentes, de atendimento emergencial, que afetem mais diretamente a vida da população cearense. Já é o 4º ano seguido que o Governo do estado veta tais repasses.

O texto publicado indica que o decreto não se aplica a despesas relacionadas a atividades desenvolvidas no âmbito do Sistema Estadual de Cultura (SIEC), como Edital Carnaval Ceará 2018, que distribuirá R$ 1.189.000,00 para atrações como bandas, maracatus, escola de samba e afoxés.               Fonte: Diário do Nordeste