blog

blog

terça-feira, 16 de maio de 2017

Professores de Cariús se manifestam por piso salarial

Cariús. Na manhã desta segunda-feira (15), professores da rede municipal de ensino de Cariús, no Centro-Sul do Ceará, realizaram manifestação na sede do distrito de Caipu, zona rural do Município. Promoveram caminhada e ocuparam parte da CE-060 (Estrada do Algodão), que corta a localidade. O ato faz parte da programação do movimento grevista iniciado na semana passada.
A categoria reivindica reajuste do Piso Nacional da Educação em 7,64% e o pagamento salarial retroativo ao mês de janeiro passado. "Pedimos aos pais de alunos, aos estudantes e à comunidade que nos apoiem para que a nossa luta seja fortalecida", disse a professora Necy Costa, que representa o movimento. "A nossa reivindicação é justa".
Os professores em greve mostraram a importância da formação dos alunos e assumiram o compromisso de recuperar as aulas após o fim da paralisação. "Esperamos que as nossas reivindicações sejam atendidas rapidamente", frisou Necy Costa.
O presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Cariús, Francisco Widerlando Barbosa Gomes, disse que apoia a greve dos docentes. "Consideramos uma justa reivindicação", frisou. "O Município precisa acompanhar o reajuste do piso nacional da categoria".
Após concentração na Praça da República, na última sexta-feira (12), houve passeata pelas ruas da cidade de Cariús, pela manhã, iniciando a greve, cuja decisão foi adotada pela maioria da categoria, que esteve reunida em assembleia no dia anterior. A professora Necy Costa disse que, depois de algumas tentativas de negociações entre a categoria e a gestão municipal, os docentes decidiram iniciar o movimento grevista, pois não houve retorno das propostas apresentadas. "Temos o apoio de muitos professores, pais de alunos e dos estudantes", frisou. "A comunidade está compreendendo a nossa luta".
A secretária de Educação do Município, Maria do Carmo Otoni Lucas, lamentou a decisão de alguns dos professores que iniciaram a greve. "Estávamos em um processo de negociação e o início da greve foi uma surpresa para todos nós", disse.
"Na semana passada, em reunião, ficou acertado que a administração iria fazer o cálculo da folha de pagamento de abril conforme a reivindicação dos professores para observar o impacto financeiro e a representação dos professores disse que iria aguardar, mas decidiu pela paralisação das atividades", completou.
Maria do Carmo Lucas frisou que é professora de carreira e reafirmou o esforço dela e da administração para que a greve acabe logo.
"Sou sensível ao problema e espero uma solução rápida porque quem perde é o Município", disse. A gestora observou, ainda, que a greve é parcial, com adesão de 30% dos docentes. A Procuradoria Jurídica do Município de Cariús ingressou na Justiça com um pedido de ilegalidade da greve.

Nenhum comentário:

Postar um comentário